Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 23 de março de 2017. Atualizado às 19h48.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Reino Unido

Alterada em 23/03 às 19h53min

Polícia confirma mais uma morte no ataque de ontem em Londres

A polícia de Londres confirmou mais uma morte no ataque de ontem próximo do Parlamento do Reino Unido. Um homem de 75 anos foi a quarta vítima do atentado, tratado como terrorismo pelas autoridades do país. O autor do ataque, identificado hoje como Khalid Masood, cidadão britânico de 52 anos, também morreu. No total, portanto, há cinco mortes confirmadas no incidente.
O homem de 75 anos que morreu hoje havia sido ferido na Ponte Westminster. Em comunicado, a polícia informou que os aparelhos dele foram desligados e que a família foi notificada.
Masood foi morto a tiros ontem. Ele já havia sido investigado por terrorismo, mas não estava atualmente na lista de suspeitos de terrorismo do país.
O Estado Islâmico reivindicou a responsabilidade pelo ataque. Em comunicado da agência de notícias Amaq, ligada ao grupo, o Estado Islâmico disse que o ataque havia sido uma resposta aos ataques da coalizão liderada pelos EUA no Oriente Médio. O grupo tem reivindicado a responsabilidade por ataques do tipo, mas não está clara a natureza ou o escopo de seu envolvimento.
Entre as vítimas estava um homem de Utah que visitava a Europa, Kurt Cochran. A mulher dele, Melissa, ficou gravemente ferida. O casal celebrava seu aniversário de 25 anos, segundo um porta-voz da família. Melissa permanecia hospitalizada nesta quinta-feira
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia