Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 10 de março de 2017. Atualizado às 08h23.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Coreia do Sul

Duas pessoas morrem em protestos contra impeachment na Coreia do Sul

Ao menos duas pessoas morreram nos atos que tomaram conta de Seul após o afastamento definitivo da presidente Park Geun-hye do poder nesta sexta-feira (10), segundo autoridades sul-coreanas.

Um homem de cerca de 70 anos, que se acredita ser um defensor de Park Geun-hye, caiu de um ônibus em frente ao Tribunal Constitucional, onde ocorreu o julgamento da ex-presidente. Ele teve ferimentos na cabeça e foi levado a um hospital, onde morreu por volta de 13h50min (hora local, 1h50min de Brasília).

A polícia confirmou uma segunda morte, mas não deu detalhes da vítima.

Milhares de apoiadores de Park Geun-hye reagiram com fúria ao veredicto do tribunal, que determinou o afastamento definitivo da primeira mulher a ser eleita presidente do país em meio a uma trama de corrupção envolvendo uma amiga pessoal dela. Munidos de bandeiras do país, os manifestantes gritaram e jogaram objetos nos policiais que cuidavam da segurança do Tribunal Constitucional.

Ao menos 21 mil policiais estão nas ruas de Seul para evitar mais violência nos protestos.

O Partido Coreia Liberdade, de Park, disse "aceitar humildemente" a decisão do Tribunal e afirmou que se sentia responsável pela sua queda.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia