Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 07 de março de 2017. Atualizado às 12h55.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Estados Unidos

07/03/2017 - 12h57min. Alterada em 07/03 às 12h57min

WikiLeaks divulga milhares de documentos que seriam da CIA

O WikiLeaks divulgou nesta terça-feira (7), mais de 8 mil documentos confidenciais que supostamente vieram do Centro de Inteligência Cibernética da CIA, mas que ainda não comprovou a autenticidade das informações. A CIA se recusou a comentar o assunto.
Especialistas que analisaram o material disseram que as informações pareciam legítimas e que a divulgação poderá abalar o serviço de inteligência dos Estados Unidos.
Os documentos fazem parte do "Ano Zero", o primeiro de uma série de vazamentos que a organização denunciou. De acordo com informações do Wikileaks no Twitter, os vazamentos revelam detalhes de um programa global de "hackeamento" da CIA, incluindo infestação de programas de microfones no iPhone da Apple, Android do Google e Windows da Microsoft e até mesmo em televisões da Samsung.
O fundador do Wikileaks, Julian Assange, está asilado desde 2012 na embaixada equatoriana em Londres para evitar ser entregue à Suécia, que lhe reivindica para esclarecer seu suposto envolvimento em um caso de estupro.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia