Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 21 de março de 2017. Atualizado às 19h43.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

saúde

Alterada em 21/03 às 19h44min

Anvisa proíbe papinha para bebês de fabricante sem registro

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu nesta segunda-feira (20), a venda de produtos alimentícios para crianças da marca Papá no Prato. Segundo a agência, os alimentos eram comercializados online por um fabricante desconhecido e não tinham registro.
Os produtos Etapapá 1, 2, 3 e Frutas, além de outros gêneros da marca Papá no Prato foram proibidos de serem fabricados, comercializados e divulgados em todo o Brasil.
Na resolução, de 17 de março deste ano, publicada no Diário Oficial da União, a agência lembra que os alimentos de transição para lactentes e crianças da primeira infância (de 0 a 6 anos) são de registro sanitário obrigatório.
Em seu site, a Papá no Prato informa que está em manutenção para regularizar a documentação dos produtos na Anvisa.
Na segunda, a agência divulgou também a interdição de um lote de paçoca em rolha da marca Dicel, produzida em Goiânia, por conter alto teor de uma substância cancerígena.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia