Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 15 de março de 2017. Atualizado às 20h18.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

meio ambiente

Alterada em 15/03 às 20h23min

Padilha diz em nota que firmou termo de compromisso ambiental com fundação do RS

A assessoria de imprensa da Casa Civil distribuiu nota nesta quarta-feira (15), sobre o inquérito autorizado pelo ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), que autorizou a abertura de inquérito para investigar se o ministro Eliseu Padilha cometeu crime ambiental no Rio Grande do Sul. De acordo com a Casa Civil, "sobre o inquérito hoje autorizado para apurar fatos atribuídos ao ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, por suposto crime ambiental pela abertura de uma vala, o ministro esclarece que: foi firmado em 09 de dezembro de 2016 Termo de Compromisso Ambiental (TAC) com a Fundação Estadual de Proteção Ambiental Henrique Luiz Roessler (Fepam/RS) para extinguir qualquer obrigação relativamente a tal fato".
Mais cedo, a Casa Civil havia informado que o ministro Padilha não iria se pronunciar sobre o caso. Na tarde desta quarta-feira Padilha embarcou para Porto Alegre, onde permanecerá até segunda-feira, sem compromissos oficiais. Padilha retornou esta semana a Brasília depois de ficar afastado por 21 dias por conta de uma cirurgia de retirada de próstata. O ministro volta para Brasília na próxima segunda-feira. Ele tem consultas em Porto Alegre.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia