Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 06 de março de 2017. Atualizado às 20h06.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Transporte

06/03/2017 - 15h17min. Alterada em 06/03 às 20h06min

Marchezan diz que passagem vai subir e que valor não agradará a ninguém

Após protestos e desavenças entre rodoviários, reajuste salarial ficou em 5,5%

Após protestos e desavenças entre rodoviários, reajuste salarial ficou em 5,5%


MARCELO G. RIBEIRO/JC
O prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Júnior (PSDB), disse, ao fazer uma transmissão ao vivo pelo Facebook no fim de semana, que o valor da passagem de ônibus vai subir. "O valor vai ser ser o que ninguém quer, não vai atender aos interesses de ninguém e isso é prova de que o modelo tem de mudar", concluiu o prefeito, que falou sobre temas de mobilidade ao chegar ao Paço Municipal, na tarde de sábado (4).   
Marchezan deu a entender que ainda nesta segunda-feira (6) deveria anunciar o valor. A assessoria da EPTC disse que não foi definido ainda. As empresas de ônibus e rodoviários firmaram acordo que prevê reajuste de 5,5% para a categoria. Só faltava este quesito para que fosse levado ao município a proposta de novo preço. A tendência é de a prefeitura apresentar R$ 4,05. Já movimentos de usuários não querem nenhum reajuste, ficando nos atuais R$ 3,75. Mas o valor deve ser submetido ao Conselho Municipal de Transporte Urbano.
O prefeito também disse na rede social que fará uma nova licitação e modelagem de contratação das lotações e vai reformular os serviços de táxis. "Vamos fazer muitas mudanças", prometeu, citando que a implantação de tecnologias como o reconhecimento facial e GPS nos ônibus coletivos também serão levadas à lotação e aos táxis.

Prefeito fez transmissão ao vivo por meio de seu Facebook, comentando a tarifa do transporte público da Capital. Foto Reprodução/JC

Outra promessa é de lançar edital para que os servidores do município possam chamar transporte individual por meio de aplicativos. Marchezan fala desde a campanha do elevado gasto com locação de carros, com despesa de R$ 35 milhões ao ano. "Vamos ser a primeira prefeitura cliente corporativo dos aplicativos para contratar taxi e substituir veículos locados ou próprios", gabou-se. Mas o prefeito de São Paulo, João Doria, também PSDB, lançou em fevereiro decreto com a mesma finalidade. Em entrevista ao Jornal do Comércio, no começo do mês passado, Marchezan havia dito que lançaria o edital ainda naquele mês, mas até agora não o fez. 
Outro movimento do prefeito da Capital é provocar engenheiros e arquitetos ou "pessoas que estudaram mobilidade e que gostam do tema"a ajudar o município. O tucano recomendou que pessoas com este perfil busquem o diretor-presidente da EPTC, Marcelo Soletti, dirigentes da Procempa e o secretário de Infraestrutura e Mobilidade, Elizandro Sabino, para levar sugestões.
Marchezan informou que encomendou das três áreas estudos do que "há de melhor no mundo em mobilidade" para transporte público e individual. "São desafios de onde queremos chegar no transporte e para traçarmos caminhos. Quem quiser levar suas experiências, este é o momento. Segunda, terça, quarta, eles estão trabalhando para apresentar o top onde chegar e como percorrer." Para arrematar a conversa informal pela sua conta no Facebook, o prefeito disse que "está dando os primeiros passos e vai dar muitos para mudar e avançar e oferecer melhores serviços com mais conforto, segurança e menor custo".
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia