Porto Alegre, quarta-feira, 19 de fevereiro de 2020.
Dia do Esportista.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

agronegócios

07/03/2017 - 20h11min. Alterada em 19/02 às 12h17min

Cadastro Ambiental Rural aponta que agricultores preservam 13% do território gaúcho

Área preserva é bem maior do que exige a legislação, aponta Miranda

Área preserva é bem maior do que exige a legislação, aponta Miranda


MARCO QUINTANA/jc
Um dos temas que mais geraram polêmica, e trabalho, para agricultores e produtores nos anos recentes, que é o Cadastro Ambiental Rural (CAR), rendeu ontem uma espécie de recompensa ao setor durante a Expodireto, em Não-Me-Toque. O chefe-geral da Embrapa Monitoramento por Satélite, Evaristo Eduardo de Miranda, informou que a atividade agropecuária gaúcha preserva 13% da área territorial do Estado e significa 21% da área agrícola gaúcha. "Isso é bem mais do que exige a legislação", citou Miranda. Os números fazem parte da primeira leva de tratamento e análise dos dados apurados pelo CAR.
Um dos temas que mais geraram polêmica, e trabalho, para agricultores e produtores nos anos recentes, que é o Cadastro Ambiental Rural (CAR), rendeu ontem uma espécie de recompensa ao setor durante a Expodireto, em Não-Me-Toque. O chefe-geral da Embrapa Monitoramento por Satélite, Evaristo Eduardo de Miranda, informou que a atividade agropecuária gaúcha preserva 13% da área territorial do Estado e significa 21% da área agrícola gaúcha. "Isso é bem mais do que exige a legislação", citou Miranda. Os números fazem parte da primeira leva de tratamento e análise dos dados apurados pelo CAR.
A equipe da Embrapa, com sede em Campinas, fez a apuração especialmente para a apresentação na feira. "Os 13% reúne matas, lagos, áreas preservadas de Áreas de Preservação Permanentes (APPs), reserva legal e vegetação excedente", explica o chefe-geral da empresa de pesquisa agropecuária. "Este percentual é 13 vezes mais do que todas as unidades de conservação e áreas indígenas, que, juntas, preservam 1% do território do Estado", comparou Miranda. "Elas são fundamentais, mas mais ainda a agricultura", destacou. O chefe-geral da unidade da Embrapa espera que a fatia seja ainda maior, pois muitos produtores não preencheram os dados no Sistema de Cadastro Ambiental Rural.