Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 29 de março de 2017. Atualizado às 18h36.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 29/03 às 18h38min

Bovespa sobe 1,37% com ações de commodities e de bancos

A Bovespa mostrou bom humor nesta quarta-feira (29), e teve uma sessão de ganhos firmes, patrocinados por ações como Petrobras, Vale e bancos. A expectativa em torno do anúncio do corte do Orçamento não foi impedimento para as ordens de compra e o Índice Bovespa fechou aos 65.528,28 pontos, em alta de 1,37% e com R$ 9,6 bilhões em negócios. Em seis dias consecutivos operando em terreno positivo, o índice avançou 4,05%.
A alta forte dos preços do petróleo nas bolsas de Nova Iorque e Londres e a valorização do minério de ferro no mercado chinês favoreceram nova onda de altas nas ações de commodities em todo o mundo, beneficiando Petrobras, Vale e siderúrgicas no Brasil. Em Wall Street, os índices tiveram comportamento misto, mas a leve alta do S&P-500 e do Nasdaq tiveram maior influência que a ligeira baixa do Dow Jones. Assim, Petrobras ON e PN subiram 3,27% e 3,58%, respectivamente, enquanto Vale ON e PNA avançaram 1,01% e 0,88%.
As recentes altas da Bovespa reacenderam estimativas otimistas para o mercado de ações em 2017, que vinham se enfraquecendo ao longo deste mês diante das quedas mais agressivas e da expressiva saída de recursos externos. Contribui para esse sentimento mais otimista o cenário de desaceleração de inflação e queda de juros no País, que aumenta a atratividade da renda variável. As ações do setor financeiro, grupo de maior peso na carteira do Ibovespa, avançaram expressivamente. O setor foi beneficiado por dados da nota de crédito do Banco Central, que mostraram estabilidade da inadimplência e aumento de spreads. O destaque ficou com Banco do Brasil ON, que avançou 3,63% depois de melhora na recomendação feita por um banco estrangeiro.
"O viés da bolsa continua a ser de alta. O que temos no cenário doméstico que limita essa recuperação é o ruído político", disse Pedro Galdi, chefe de análises da Upside Investor. Mais que as medidas orçamentárias, afirma, o mercado de ações precisa ver reduzido o mal-estar com questões políticas, de maneira que o governo consiga avançar nas reformas, ainda que devagar.
De acordo com operadores, o clima hoje foi de otimismo entre profissionais de renda variável presentes ao 10º Brazil Conference, do BofA Merril Lynch, realizado em São Paulo. O evento, fechado à imprensa, contou com a presença do presidente Michel Temer, do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e do presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn.
Segundo fontes ouvidas pelo Broadcast, em seu discurso de abertura do evento, Temer destacou a importância do diálogo, especialmente com os parlamentares, para o bom andamento de governo.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia