Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 29 de março de 2017. Atualizado às 16h26.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 29/03 às 16h32min

Petróleo fecha em alta, com queda em estoques de gasolina e de destilados nos EUA

Os contratos futuros de petróleo fecharam em alta nesta quarta-feira (29) influenciados pelo relatório semanal de estoques do Departamento de Energia (DoE) dos Estados Unidos, que mostrou um recuo nos estoques de gasolina e de destilados na semana encerrada em 24 de março. Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o petróleo WTI para maio fechou em alta de 2,36%, a US$ 49,51 por barril. Já na Intercontinental Exchange (ICE), o petróleo tipo Brent para junho avançou 2,18%, a US$ 52,54 por barril.
O relatório semanal do DoE reportou, nesta quarta-feira, que os estoques de gasolina recuaram 3,747 milhões de barris, ante expectativa de baixa de 1,9 milhão de barris. Já os estoques de destilados perderam 2,483 milhões de barris, ante expectativa de queda de 1,0 milhão de barris. As quedas maiores do que o esperado fizeram com que os preços do petróleo avançassem com mais força.
"O dado de gasolina é incrível", disse Carl Larry, consultor principal da Oil Outlooks and Opinions. Segundo alguns analistas, os dados positivos ajudaram a aliviar as preocupações de que um aumento na produção dos EUA irá manter a oferta elevada, mesmo com os cortes promovidos pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e por outros grandes produtores que não integram o cartel.
Segundo Bob Yawger, diretor da divisão de futuros da Mizuho Securities USA, o aumento da demanda deve ajudar a afastar os altos níveis de estoques de petróleo. Segundo o DoE, na semana encerrada em 24 de março, os estoques de petróleo nos EUA aumentaram 867 mil barris, ante expectativa de alta de 1,0 milhão de barris. "A gasolina está começando, realmente, a afirmar sua influência aqui no mercado", disse Yawger.
Investidores também ficaram positivos com comentários de membros da Opep que estão mostrando uma maior vontade de prolongar os cortes na produção. Os Emirados Árabes Unidos anunciaram planos para reduzir sua oferta em cerca de 200 mil barris de março a maio, "o que é realmente mais do que foi acordado", disseram analistas do Commerzbank.
Os preços do petróleo também continuaram a reagir à notícia de um fechamento dos principais oleodutos da Líbia, à medida que a tensão entre o governo e uma milícia oposicionista tem se acirrado, acarretando na retirada de cerca de 250 mil barris de petróleo por dia do mercado. "Estamos vendo a oferta mais apertada e é muito provável que isso continue a acontecer em abril", disse Georgi Slavov, chefe global de pesquisa de energia da Marex Spectron. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia