Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 29 de março de 2017. Atualizado às 10h26.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Taxas de juros oscilam perto da estabilidade, após início em baixa

Os juros futuros de curto prazo recuam, em linha com o dólar ante o real e o rendimento dos Treasuries no exterior, enquanto as taxas de médio e longo prazos oscilavam com viés de alta, próximas da estabilidade. A perspectiva de um ciclo de afrouxamento monetário mais agressivo favorece taxas mais fracas. No foco, está o anúncio das medidas fiscais no final da tarde desta quarta-feira (29).

Declarações do presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, sinalizando que a Selic poderá ter cortes maiores, são precificadas, embora o movimento tenha diminuído nos últimos minutos. Em entrevista ao jornal japonês The Nikkei, divulgada nesta quarta, Ilan disse que o BC está "aberto para tomar qualquer decisão".

Às 9h43min, o DI para janeiro de 2018 estava a 9,845%, na máxima, de 9,850% no ajuste de terça. O DI para janeiro de 2019 estava em 9,48%, máxima, de 9,46% no ajuste anterior. O vencimento para janeiro de 2021 exibia 9,920%, de 9,91% no ajuste anterior.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia