Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 28 de março de 2017. Atualizado às 10h47.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 28/03 às 10h53min

Bovespa ronda a estabilidade à espera de discurso da presidente do BC dos EUA

A Bovespa abriu em queda moderada nesta terça-feira (28) mas depois rondava a estabilidade, em dia de agenda local fraca e de expectativa por um discurso da presidente do Federal Reserve (o banco central norte-americano), Janet Yellen, em uma conferência em Washington marcada para o início desta tarde. Às 9h25min, o Ibovespa exibia leve queda de 0,14%, aos 64.398,48 pontos, em linha com as ligeiras perdas dos índice futuros em Wall Street, em meio a incertezas quanto à capacidade do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de cumprir suas promessas de reformas depois do fracasso em aprovar seu projeto para a área da saúde na semana passada.
Agora, o foco está na reforma tributária, que terá mais chances de passar no Congresso, segundo especialistas. Já na Europa, as principais praças exibem leves ganhos na esteira da avaliação de que a economia global voltou a crescer.
No Ibovespa, entre as blue chips, as perdas são conduzidas sobretudo pelo setor financeiro, com Itaú Unibanco em baixa de 1,27%. Por outro lado, as ações da Petrobras avançam 0,69% (ON) e 1,31% (PN), beneficiadas pela valorização dos contratos futuros de petróleo negociados no exterior, após a notícia de que uma milícia na Líbia fechou oleodutos, cortando mais de um terço das fontes de produção.
Os papéis da Vale também amenizam a queda do índice à vista, ao subirem 0,44% (ON) e 0,39% (PNA).
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia