Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 27 de março de 2017. Atualizado às 10h03.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Dólar sobe com cautela sobre políticas nos EUA e expectativas sobre impostos

O dólar opera com alta moderada ante o real nesta segunda-feira (27), na contramão da queda externa ante divisas principais e algumas emergentes, refletindo um movimento discreto de busca de segurança, após a derrota do governo de Donald Trump na sexta-feira em relação à revogação do Obamacare na Câmara dos Deputados, disse o operador da corretora Hcommcor, Cleber Alessie Machado Neto.

"Os mercados em geral começam a se deparar com uma nova realidade nos Estados Unidos e há dúvidas se o presidente Donald Trump conseguirá entregar o que prometeu na campanha eleitoral", afirmou ele, referindo-se à reforma tributária, desregulamentações e aumento de gastos com infraestrutura.

Internamente, segundo o mesmo profissional, o mercado aguarda o anúncio de corte de gastos e aumento de impostos, marcados para terça. Também há expectativas de que o ministro do Supremo Tribunal Federal Edson Fachin, relator na Lava Jato, pode começar a decidir, na terça, sobre os pedidos de inquérito apresentados pela Procuradoria Geral da República (PGR), que incluem 83 processos envolvendo políticos com foro privilegiado.

Às 9h32min, o dólar à vista subia 0,33%, aos R$ 3,1224. O dólar futuro para abril estava em alta de 0,42%, aos R$ 3,1270. O Ibovespa futuro recuava 1,20%, para 63.600 pontos.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia