Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 27 de março de 2017. Atualizado às 08h33.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 27/03 às 08h34min

Cobre opera em baixa com incertezas sobre Trump

Os futuros de cobre operam em baixa na manhã desta segunda-feira (27), em meio à ansiedade causada pela recente derrota do presidente dos EUA, Donald Trump, no Congresso americano e expectativas de que uma importante mina do metal retome suas operações no Chile.
Por volta das 7h20min (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) caía 1,44%, a US$ 5.729,00 por tonelada, atingindo o menor nível em mais de duas semanas.
Já na Comex, a divisão de metais da bolsa mercantil de Nova Iorque (Nymex), o cobre para entrega em maio tinha baixa de 1,81%, a US$ 2,5835 por libra-peso, às 8h02min (de Brasília).
Na sexta-feira, Trump não conseguiu obter apoio suficiente na Câmara dos Representantes para aprovar um novo projeto de saúde, gerando temores de que ele tenha dificuldades mais adiante de seguir com sua agenda de reformas.
Além disso, trabalhadores da mina de cobre de Escondida, a maior do mundo e situada no Chile, anunciaram recentemente o fim de uma greve de mais de um mês, após chegarem a um acordo com a controladora, a anglo-australiana BHP Billiton. Isso significa que a mina está para retomar sua produção.
Entre outro metais na LME, as perdas eram generalizadas: o alumínio recuava 0,54%, a US$ 1.926,00 por tonelada, enquanto o chumbo perdia 1,45%, a US$ 2.317,50 por tonelada, o zinco registrava baixa de 1,76%, a US$ 2.784,50 por tonelada, o níquel mostrava queda de 1,47%, US$ 9.720,00 por tonelada, e o estanho caía 1,89%, a US$ 19.495,00 por tonelada.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia