Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 26 de março de 2017. Atualizado às 22h50.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Tributos

Notícia da edição impressa de 27/03/2017. Alterada em 26/03 às 21h29min

Alta de impostos deve cobrir 40% do rombo

Elevações de IOF ou PIS/Cofins para todos os produtos são estudadas

Elevações de IOF ou PIS/Cofins para todos os produtos são estudadas


RAFAEL NEDDERMEYER/FOTOS PÚBLICAS/DIVULGAÇÃO/JC
A equipe econômica pretende cobrir mais de 40% dos R$ 58,2 bilhões que terá de ajustar no orçamento deste ano com alta de tributos, o fim da desoneração da folha de pagamento para todos os setores e a retirada de isenções fiscais para segmentos específicos da indústria.
O governo conta ainda com R$ 14 bilhões de receitas vindas de precatórios e concessões de três hidrelétricas da estatal Cemig que devem voltar para a União, o que ainda depende da Justiça. Nesse cenário, que será apresentado ao presidente Michel Temer amanhã, o contingenciamento orçamentário será de R$ 20 bilhões para fechar a conta. Assim, o governo conseguirá cumprir a meta de déficit primário de
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia