Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 22 de março de 2017. Atualizado às 09h33.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Cobre opera em baixa com mau humor nos mercados acionários

Os futuros de cobre operam em baixa nesta manhã, após índices acionários de Nova Iorque registrarem ontem suas maiores quedas desde setembro do ano passado em meio a uma crescente onda de ceticismo em relação à capacidade do presidente dos EUA, Donald Trump, de implementar medidas de estímulo fiscal.

Por volta das 8h50min (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) caía 0,53%, a US$ 5.739,00 por tonelada, se aproximando dos menores níveis em uma semana.

Na Comex, a divisão de metais da bolsa mercantil de Nova Iorque (Nymex), o cobre para entrega em maio tinha baixa de 0,80%, a US$ 2,5975 por libra-peso, às 9h05 (de Brasília).

As bolsas asiáticas e da Europa seguiram o mau humor de Wall Street nesta quarta-feira, diante da dificuldades de Trump de obter apoio no Congresso para uma proposta de reforma no setor de saúde.

O cobre também é influenciado pela perspectiva de negociações que podem encerrar paralisações em minas de cobre do Chile e Peru.

Entre outro metais na LME, no entanto, a tendência era majoritariamente positiva: o alumínio subia 0,16%, a US$ 1.926,50 por tonelada, enquanto o chumbo avançava 1,34%, a US$ 2.299,00 por tonelada, o zinco registrava alta de 0,35%, a US$ 2.830,00 por tonelada, e o estanho tinha valorização marginal de 0,07%, a US$ 20.415,00 por tonelada.

Já o níquel recuava 1,48% na LME, US$ 10.005,00 por tonelada.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia