Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 20 de março de 2017. Atualizado às 22h38.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Comércio Exterior

Notícia da edição impressa de 21/03/2017. Alterada em 20/03 às 22h33min

Agronegócio gaúcho exportou menos em fevereiro

Volume de negócios ficou em US$ 500 milhões

Volume de negócios ficou em US$ 500 milhões


ANTONIO PAZ/ARQUIVO/JC
Com um total de US$ 500 milhões comercializados em fevereiro, o agronegócio gaúcho registrou queda de 5,8% nas exportações em relação ao mesmo período de 2016. O resultado positivo de produtos de grande importância, como soja (8,6%), carnes (24,6%) e cereais (48,6%), não foi suficiente para reverter o cenário que teve fumo (-36%), produtos florestais (-29,4%) e outros (-16,3%) como responsáveis pela retração. Mesmo com resultado negativo, o setor respondeu por 64% do total comercializado pelo Rio Grande do Sul, conforme Relatório de Comércio Exterior, divulgado pela Assessoria Econômica do Sistema Farsul.
Na comparação entre os meses de janeiro e fevereiro de 2017, o resultado também foi negativo. São registradas quedas no valor (-27,4%) e no volume (-42,2%), o que representa uma redução de US$ 190 milhões. Soja (-70,4%) e produtos florestais (47,7%) foram os principais ofensores, que, juntos, somam
US$ 211 milhões a menos nas vendas. Mesmo que em uma escala menor, carnes (-2,8%) e cereais (-12,4%) também registraram diminuição nas vendas.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia