Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 17 de março de 2017. Atualizado às 17h19.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 17/03 às 17h25min

Petróleo fecha perto da estabilidade, após relatório da Baker Hughes

O petróleo fechou perto da estabilidade nesta sexta-feira (17) depois de mostrar volatilidade em sessões recentes. Investidores avaliam os sinais da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e também a produção e os estoques nos Estados Unidos. Além disso, hoje o dólar um pouco mais fraco ajudou a apoiar os contratos.
O petróleo WTI para maio fechou em alta de 0,14%, a US$ 49,31 o barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex), e o Brent para maio subiu 0,04%, a US$ 51,76 o barril, na ICE. Na semana, o contrato do WTI avançou 0,82% e o do Brent ganhou 0,76%.
Países liderados pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) deram nesta semana sinais de que podem estender a duração do acordo para conter a produção para além do período de seis meses inicialmente planejado. Por outro lado, os números robustos de estoques e produção nos EUA geram dúvidas no mercado sobre se o esforço da Opep pode ser atrapalhado.
Hoje, a Baker Hughes informou que o número de poços e plataformas em atividade dos EUA subiu 14 na última semana, para 631. Trata-se da nona alta consecutiva do dado. O relatório da Baker Hughes sugere que a produção americana pode ter aumentado no período.
Além disso, o câmbio influiu nos mercados de commodities. O dólar um pouco mais fraco torna as matérias-primas cotadas nesta moeda mais baratas para os detentores de outras divisas, o que aumenta o apetite dos investidores. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia