Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 16 de março de 2017. Atualizado às 22h36.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

agronegócios

Notícia da edição impressa de 17/03/2017. Alterada em 16/03 às 21h26min

Exportações de carne suína crescem 16,9% no primeiro bimestre

Em janeiro e fevereiro foram embarcadas 116,1 mil toneladas

Em janeiro e fevereiro foram embarcadas 116,1 mil toneladas


MARCELO BOLINHA/DIVULGAÇÃO/JC
As exportações brasileiras de carne suína alcançaram 116,1 mil toneladas no primeiro bimestre de 2017. Superam em 16,9% o volume embarcado no mesmo período do ano passado, de 99,3 mil toneladas. O levantamento feito pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) considera todos os produtos, entre in natura e processados.
Em receita cambial, a alta acumulada no período chegou a 52,3%. São US$ 252,7 milhões, contra US$ 165,9 milhões obtidos em 2016. Considerando apenas o mês de fevereiro, houve decréscimo de 0,7% no volume embarcado, com 51,7 mil toneladas. Em fevereiro do ano passado foram 52,1 mil toneladas. Já em receita cambial houve elevação de 31,8% em fevereiro, com US$ 113,6 milhões (frente aos US$ 86,2 milhões no mesmo mês ano passado). "O setor vem gradativamente melhorando os preços internacionais da carne suína. Isso é reflexo da ampliação do volume de vendas e de um câmbio menos valorizado", destaca Francisco Turra, presidente executivo da ABPA.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia