Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 16 de março de 2017. Atualizado às 01h01.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Agronegócio

Notícia da edição impressa de 16/03/2017. Alterada em 16/03 às 01h04min

Mercado do arroz não condiz com oferta e demanda, dizem Irga e Federarroz

Os movimentos de mercado e comercialização neste início da colheita do arroz estão desconectados da razoabilidade. Esta é a avaliação de produtores e analistas de mercado, que discordam da repercussão de uma supersafra.
Para o diretor comercial do Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga), Tiago Barata, o recente movimento das cotações do arroz em casca no Rio Grande do Sul causa uma certa estranheza, uma vez que os fundamentos do mercado naturalmente deveriam garantir a sustentação dos preços. "O Irga projeta uma safra de 8,4 milhões de toneladas, representando uma normalização dos índices de produção após a forte quebra ocorrida na última temporada, longe de uma supersafra, como tem sido noticiada", enfatiza. Segundo Barata, há, considerando a mais baixa posição do estoque, uma disponibilidade enxuta de produto, ajustada à demanda interna.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia