Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 16 de março de 2017. Atualizado às 01h01.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Comércio Exterior

Notícia da edição impressa de 16/03/2017. Alterada em 16/03 às 01h03min

Índice de rentabilidade das exportações cai em 2016

O ano de 2016 teve uma queda de 9,9% no Índice de Rentabilidade nas Exportações Gaúchas, (Ireg). O indicador é o único que avalia a rentabilidade de exportação estadual no Brasil e foi apresentado de forma pioneira ontem pela Fundação de Economia e Estatística (FEE). Os pesquisadores em Economia Tomás Torezani e Bruna Borges, do Núcleo de Dados e Estudos Conjunturais do Centro de Indicadores Econômicos e Sociais da FEE, explicam que o índice vai auxiliar o direcionamento e a avaliação de políticas públicas voltadas ao setor produtivo, permitindo avaliar se determinado incentivo é benéfico ou não. "Com este índice, teremos melhor compreensão da escolha, de uma empresa/setor, entre direcionar a produção para o exterior ou para o mercado doméstico; e para o entendimento da decisão empresarial de realizar investimentos voltados à exportação", destaca Torezani.
O Ireg indica a direção e a margem de ganho da atividade exportadora e vai auxiliar na compreensão da dinâmica da economia do Rio Grande do Sul, porque permite o acompanhamento da evolução da rentabilidade ao longo do tempo no Estado. "A rentabilidade refere-se à margem de ganho do exportador. O escopo do Ireg reside especificamente na rentabilidade, que pode, ou não, ter efeito sobre os volumes exportados", explica Torezani. O índice resulta da relação entre os três principais determinantes da rentabilidade exportadora: o preço de exportação, a taxa de câmbio e os custos de produção
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia