Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 16 de março de 2017. Atualizado às 01h01.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Agronegócios

Notícia da edição impressa de 16/03/2017. Alterada em 15/03 às 20h57min

Abate de bovinos recuou 3,2% em 2016 no Brasil

Rio Grande do Sul teve um aumento de 76,04 mil cabeças de gado

Rio Grande do Sul teve um aumento de 76,04 mil cabeças de gado


CI/DIVULGAÇÃO/JC
O Brasil abateu 29,67 milhões de cabeças de bovinos em 2016, queda de 3,2% em relação a 2015, segundo as Pesquisas Trimestrais do Abate de Animais divulgadas ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Foi a terceira queda anual consecutiva na série histórica do abate de bovinos. No ano passado, foram menos 982,83 mil cabeças de bovinos abatidas.
De acordo com o IBGE, houve reduções no abate em 20 das 27 unidades da federação. As quedas mais intensas foram em Minas Gerais (-370,94 mil cabeças), São Paulo (-260,16 mil cabeças) e Goiás (-239,48 mil cabeças). Os maiores aumentos foram em Rondônia ( 250,49 mil cabeças), Pará ( 83,64 mil cabeças) e Rio Grande do Sul ( 76,04 mil cabeças). Mato Grosso continuou na liderança do ranking das unidades da federação em 2016, com 15,4% do mercado nacional, seguido por Mato Grosso do Sul (11,1%) e Goiás (9,5%).
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia