Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 15 de março de 2017. Atualizado às 15h38.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 15/03 às 15h42min

Ouro fecha em leve baixa, à espera do Fed

O ouro fechou em queda nesta quarta-feira (15) embora sem um movimento acentuado, com investidores à espera da decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), que ocorreria após o fechamento desse mercado. A expectativa de grande parte dos analistas era de que o Fed elevasse os juros em 0,25 ponto porcentual.
O ouro para entrega em abril fechou em baixa de US$ 1,9 (0,16%), a US$ 1.200,70 a onça-troy, na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex).
Como o mercado já se ajustou à expectativa de uma elevação de juros de 0,25 ponto porcentual, qualquer impacto sobre os mercados de metais poderia vir das declarações do Fed. A presidente da instituição, Janet Yellen, concede entrevista coletiva hoje, quando também haverá projeções atualizadas do banco central.
O Commerzbank lembrou que anteriormente os dirigentes favoreciam três elevações de juros no total neste ano. Caso isso se mantenha, isso poderia levar o ouro a se recuperar um pouco. Caso mais elevações sejam previstas, isso pode pressionar os contratos.
O ouro tende a recuar quando os juros estão mais altos, já que investidores privilegiam nesses casos ativos que pagam retornos. O ouro recuou quase 5% desde 24 de fevereiro.
Por outro lado, a cautela com a política impulsiona o apetite pelo metal. Hoje, o foco estava na eleição parlamentar na Holanda. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia