Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 15 de março de 2017. Atualizado às 10h28.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

15/03/2017 - 10h19min. Alterada em 15/03 às 10h32min

Taxas de juros sobem com incertezas sobre desdobramentos da Lista de Janot

A reação à lista de Janot no mercado de juros é limitada na manhã desta quarta-feira (15), pelo tom mais positivo no exterior, antes do anúncio da decisão de política monetária do Federal Reserve (o banco central norte-americano), às 15 horas (de Brasília). As incertezas sobre os desdobramentos dos 83 pedidos de abertura de inquérito feitos ao STF contra políticos, incluindo os presidentes da Câmara e do Senado, e cinco ministros do governo Temer citados em delações da Odebrecht deixam os investidores na defensiva.
 
Às 9h54min, o DI para janeiro de 2018 exibia 10,055%, de 10,050% no ajuste de terça. O vencimento para janeiro de 2019 estava em 9,63%, de 9,60%, enquanto o DI para janeiro de 2021 estava em 10,11%, de 10,07% no ajuste de terça.
 
Mais cedo, a FGV informou que a inflação medida pelo Índice Geral de Preços - 10 (IGP-10) foi de 0,05% em março após alta de 0,14% em fevereiro.
 
O resultado ficou abaixo das estimativas dos analistas do mercado financeiro ouvidos pelo Projeções Broadcast, que esperavam uma alta entre 0,10% e 0,32%, com mediana de 0,20%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia