Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 14 de março de 2017. Atualizado às 22h41.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Gestão

Notícia da edição impressa de 15/03/2017. Alterada em 14/03 às 21h48min

João Doria abrirá o 30º Fórum da Liberdade

Fórum tem a missão de trazer grandes pensadores, afirma Tellechea

Fórum tem a missão de trazer grandes pensadores, afirma Tellechea


CLAITON DORNELLES/JC
Adriana Lampert
A 30ª edição do Fórum da Liberdade terá como palestrantes uma série de autoridades, economistas e cientistas políticos que compartilham ideias com perspectivas do ponto de vista liberal, a exemplo do prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB).
Ele fará a palestra de abertura dos debates que ocorrem nos próximos dias 10 e 11 de abril, no Centro de Eventos da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (Pucrs), em Porto Alegre. Além das conferências, esta edição contará com oficinas, cursos e workshops destinados à "formação" intensiva de pessoas para temas como liberdade individual e de imprensa, empreendedorismo, privatizações, democracia e pensamento crítico.
"Este ano, o tema é O futuro da democracia", destaca o presidente do Instituto de Estudos Empresariais (IEE) - entidade promotora do evento -, Rodrigo Tellechea. Segundo o dirigente, o fórum tem a responsabilidade de trazer para Porto Alegre grandes pensadores nacionais e internacionais para compartilhar com a sociedade gaúcha as ideias e filosofias para problemas que são debatidos no País e no mundo.
Neste sentido, o projeto Ideias para o Brasil será lançado nesta edição comemorativa de três décadas do evento, com destaque para conceitos "inovadores" sobre segurança pública, privatizações, impunidade, previdência, educação e modelo de estado, aponta Tellechea.
"O projeto consiste em uma série de cinco vídeos que buscam, de forma didática, apresentar alternativas testadas com sucesso em outros países para resolver problemas nestas áreas", explica o vice-presidente do IEE, Paulo Fuchs. Também serão apresentados diversos cases de sucesso nos quais as privatizações aumentaram o acesso de serviços essenciais para a população mais carente, como o caso do saneamento básico, destaca Fuchs. "No Brasil, esse serviço é fornecido pelos governos em geral, e, como se sabe, temos muito pouco cano dentro do chão", compara.
Um dos destaques internacionais deve ser o economista e cientista político James Robinson, coautor do best seller Por que as nações fracassam?, no qual faz um estudo histórico sobre o que determina o sucesso ou não de um país. "Ao contrário do que se fala, não depende nem de localização geográfica, nem de cultura, para que haja riqueza e prosperidade", comenta Tellechea. De acordo com o levantamento de Robinson, afirma o dirigente, são as instituições de um país, o seu Poder Judiciário independente, a sociedade civil organizada e a seriedade de todos estes atores que levam as nações a prosperarem.
No último dia do evento, ainda serão entregues os prêmios Libertas (para o fundador e CEO do Nubank, David Vélez) e Liberdade de Imprensa, que, este ano, contempla, pela primeira vez, uma mídia digital, como o Portal Spotniks, que "tem um grande impacto e milhões de seguidores", segundo o presidente do IEE. "Este veículo de comunicação tem determinado as discussões do País, quer seja em termos de economia, quer seja em termos de Congresso Nacional", justifica.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia