Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 14 de março de 2017. Atualizado às 09h55.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Dólar sobe com busca de proteção antes do Fed e da 'lista de Janot'

O dólar abriu em alta frente ao real, pressionado pela persistente valorização externa da moeda norte-americana em meio à queda do petróleo na manhã desta terça-feira (14). Os investidores buscam proteção na moeda dos EUA enquanto esperam mais um aumento de juros dos Fed Funds na reunião do Federal Reserve, que começa nesta terça e termina na quarta-feira (15), além da entrevista da presidente da instituição, Janet Yellen, após o fim do encontro.

No Brasil, a tensão pré-lista do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, põe um viés de proteção no mercado, disse o diretor da Correparti, Jefferson Rugik.

Para o encontro do Fed, a expectativa também é de que o BC americano indique a velocidade com que pretende apertar sua política este ano. Nos últimos meses, o Fed vem prevendo três aumentos de juros ao longo de 2017.

Eventos políticos na Europa também são acompanhados, como o início das negociações para o "Brexit", como é conhecido o processo para a retirada do Reino Unido da União Europeia, além da movimentação em torno das eleições nacionais na Holanda, nesta quarta.

Os contratos futuros de petróleo passaram a cair na manhã desta terça, após a publicação do relatório da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep). O documento revisa para cima a previsão da produção dos países de fora do cartel, especialmente nos Estados Unidos, que limita os efeitos do acordo de corte de produção atingido no fim do ano passado.

Às 9h27min, o contrato do Brent para maio caía 1,01%, a US$ 50,83 por barril, na Intercontinental Exchange (ICE). Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o WTI para abril cedia 1,32%, a US$ 47,75.

No mesmo horário acima, o dólar à vista subia 0,47%, aos R$ 3,1670. O dólar futuro para abril avançava 0,39%, aos R$ 3,1835.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia