Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 13 de março de 2017. Atualizado às 22h39.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Impostos

Notícia da edição impressa de 14/03/2017. Alterada em 13/03 às 22h36min

Receita Federal vasculha internet e redes sociais em busca de sonegadores

Ostentar um padrão de vida nas redes sociais e declarar outro no Imposto de Renda (IR) pode sair caro, e a Receita Federal tem reforçado cada vez mais a fiscalização em sites e redes sociais em busca de inconsistências financeiras.
As informações obtidas on-line viram ponto de partida para uma investigação mais detalhada dos auditores. "A gente usa a internet como subsídio. Toda fiscalização é feita com base numa análise de risco, a partir de um algoritmo que varre a internet com palavras-chave e vincula um determinado perfil a critérios já programados", explica Flavio Vilela, coordenador-geral de Fiscalização da Receita.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia