Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 10 de março de 2017. Atualizado às 10h07.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 10/03 às 10h07min

Dólar recua com IPCA fraco e exterior apoiando realização de lucros

A desaceleração do IPCA de fevereiro para 0,33%, de 0,38% em janeiro, ficou abaixo do piso das estimativas do mercado (+0,36% a 0,53%), estimulando um movimento de realização de lucros no mercado de câmbio. 
Como o dólar vinha carregando uma alta de 2,47% nesta semana, o indicador de inflação oficial mais baixo para fevereiro desde 2000 colaborou para apoiar um movimento de realização de lucros no mercado de câmbio. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou o IPCA de fevereiro na manhã desta sexta-feira (10).
Às 9h41 desta sexta, o dólar à vista recuava 0,56%, aos R$ 3,1767. O dólar futuro para abril caía 0,54%, aos R$ 3,1965.
O IPCA é o principal fator para a valorização dos ativos brasileiros (futuros da Bovespa e real), disse o operador da corretora Hcommcor, Cleber Alessie Machado Neto. No caso do dólar, segundo ele, a confirmação de que a inflação segue para baixo consolida a visão otimista sobre o rumo dos preços e dos juros no País, reforçando expectativas sobre uma melhora mais rápida da economia.
Além disso, Machado Neto acrescentou que o viés de baixa da moeda norte-americana frente o real acompanha a desvalorização externa diante de outras divisas emergentes em meio à recuperação de commodities, como petróleo e cobre.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia