Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 09 de março de 2017. Atualizado às 14h20.

Jornal do Comércio

Expodireto 2017

COMENTAR | CORRIGIR

Grãos

Notícia da edição impressa de 09/03/2017. Alterada em 09/03 às 14h23min

Ministro Blairo Maggi recebe hoje reivindicações para a cadeia do trigo do Estado

O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, recebe hoje, na Expodireto, um documento em que o governo gaúcho e a cadeia produtiva do trigo solicitam medidas para resolver alguns gargalos da produção do cereal, como logística, taxa de cabotagem e armazenagem.
Na mesma linha de argumentação, o presidente da Cotrijal, Nei César Mânica, ressaltou a importância de o evento adotar uma posição clara em relação à cultura, que precisa de soluções para motivar os produtores. O anúncio foi feito durante o Fórum Cultura do Trigo.
O anúncio serviu de estímulo para que os painelistas do fórum apresentassem dados que confirmam a importância do trigo para os que o produzem ou mesmo para outras culturas. Para o agrônomo e produtor Irineu José Pedrollo, consultor em Agroindústria na I&MP Consult, o Rio Grande do Sul tem condições para produzir entre 1 milhão de hectares e 1,4 milhão de hectares. Na safra passada, o cereal foi semeado em 780 mil hectares. Para praticamente dobrar esta área, na sua avaliação, são necessárias três variáveis: liquidez, rentabilidade e qualidade.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia