Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 02 de março de 2017. Atualizado às 17h00.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 02/03 às 17h01min

Ouro fecha em queda, diante da força do dólar e chance de alta de juros nos EUA

O ouro fechou em queda nesta quinta-feira, em meio a mais evidências de que o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) pode elevar os juros já neste mês. Além disso, a força do dólar reduziu o apetite pelo metal.
Na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o ouro para abril fechou em queda de US$ 17,10 (1,37%), a US$ 1.232,90 a onça-troy.
Diretora do Fed e com direito a voto nas decisões de política monetária, Lael Brainard disse no fim da quarta-feira que os riscos econômicos estão perto do equilíbrio há algum tempo e que a economia apoia uma elevação de juros em breve. Nesta quinta, outro diretor do Fed, Jerome Powell, disse em entrevista à emissora CNBC que uma elevação de juros já neste mês estará em discussão.
Investidores elevaram as apostas de que pode haver uma elevação de juros do Fed neste mês. Os juros mais altos tendem a pressionar o ouro, que compete com investimentos que pagam retornos quando os custos de empréstimo sobem.
O recuo do ouro, porém, é contido pela turbulência política nos Estados Unidos e na Europa. Investidores buscam mais detalhes sobre os planos do presidente dos EUA, Donald Trump, de cortar impostos e gastos com infraestrutura. Muitos também aguardam as eleições na Holanda, França, Alemanha e Itália, onde candidatos populistas mostram mais força que o normal.
Alguns investidores privilegiam o ouro em momentos de incerteza, com a crença de que o metal mantém melhor o valor que outros ativos, em caso de turbulência nos mercados. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia