Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 26 de março de 2017. Atualizado às 22h50.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR

Frases e Personagens

Notícia da edição impressa de 27/03/2017. Alterada em 26/03 às 22h03min

Frases e personagens

Joarez Tejada Franceschi

Joarez Tejada Franceschi


HENRIQUE FERREIRA BREGÃO/CMPA/JC
"A Associação dos Auditores Fiscais da Receita Municipal de Porto Alegre (Aiamu) realiza a primeira edição do Seminário IPTU de Porto Alegre amanhã, terça-feira. Uma nova planta de valores vai trazer mais justiça fiscal para Porto Alegre. Infelizmente, o Executivo não enfrentou esse problema nos últimos 25 anos." Joarez Tejada Franceschi, presidente da Aiamu.
"Ao longo do tempo, a construção civil transformou Porto Alegre, e o IPTU não foi atualizado, porque não houve proposição de lei. Existe uma série de imóveis com o mesmo valor venal que pagam um imposto muito diferente." Também Joarez Tejada Franceschi.
"A imprensa julga que é lorota o déficit da prefeitura, mas não é. Herdamos contas atrasadas de 2016 não pagas, e temos muitos compromissos em 2017 sem cobertura financeira." Nelson Marchezan Júnior (PSDB), prefeito da Capital.
"Tenho que reconhecer que o governador Sartori herdou uma situação financeira muito ruim. E julgo que, se o Estado depender da ajuda da União para avançar, será difícil." Aod Cunha, economista, ex-secretário da Fazenda.
"Uma parte do rombo de R$ 58,2 bilhões para o cumprimento da meta de déficit primário deste ano será coberta com mais cortes de despesas e aumento de impostos já existentes." Henrique Meirelles, ministro da Fazenda.
"Por exemplo, PIS/Cofins e a reoneração de algumas isenções fiscais que foram concedidas e que não tiveram efeito produtivo, como desonerações a alguns setores." Também Henrique Meirelles.
"Um aumento dos impostos, sinalizado pelo ministro Henrique Meirelles, seria a pior decisão a ser tomada, pois o aumento de tributos só irá retardar o crescimento da economia." Alencar Burti, presidente da Associação Comercial de São Paulo e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo.
"Sabemos que, por mais temporários que sejam os aumentos propostos, uma vez que eles sobem, eles jamais caem. Isso não queremos. Sempre foi assim no Brasil." Também Alencar Burti.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia