Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 28 de fevereiro de 2017. Atualizado às 22h49.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Eleições

Notícia da edição impressa de 01/03/2017. Alterada em 28/02 às 21h56min

Contra Michel Temer, Lula prepara um plano para a economia

Ex-presidente tem dito que Michel Temer 'só sabe cortar'

Ex-presidente tem dito que Michel Temer 'só sabe cortar'


AFP/JC
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) prepara uma plataforma econômica para apoiar sua pré-candidatura ao Planalto em 2018. Mesmo correndo o risco de ficar inelegível se for condenado em segunda instância, pois é réu em cinco ações no âmbito da Operação Lava Jato, Lula avalia que o PT precisa se contrapor com mais vigor ao governo Michel Temer, lançando uma espécie de "programa nacional de emergência" para o País sair da crise.
Com um discurso em defesa de novas eleições diretas e disposto a antecipar o lançamento de seu nome ao Planalto, Lula tem aparecido em vídeos dizendo que Temer "só sabe cortar". O foco de sua plataforma para 2018 vai na linha de que o País não conseguirá reduzir o número de 12,9 milhões de desempregados se não ampliar o crédito para a produção e o consumo.
Entre as propostas que Lula e a cúpula do PT defendem para enfrentar a crise estão a criação de um Fundo de Desenvolvimento e Emprego, reajuste de 20% nos valores do Bolsa Família e aumento real do salário mínimo, além da correção da tabela do Imposto de Renda, com teto de isenção superior ao atual. Na lista dos economistas com quem Lula sempre conversa constam Luiz Gonzaga Belluzzo e Nelson Barbosa, ex-ministro da Fazenda e do Planejamento na gestão Dilma.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia