Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017. Atualizado às 21h37.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Câmara de Porto Alegre

Notícia da edição impressa de 14/02/2017. Alterada em 13/02 às 22h37min

Votação sobre compensação pós-greve é adiada

O projeto de lei que cria regras para a compensação de servidores municipais em greve teve votação adiada por cinco sessões. Apresentado por Sofia Cavedon, líder da bancada do PT na Câmara Municipal, esse projeto traça um plano para que funcionários públicos municipais possam trabalhar dias para recuperar períodos de greve definidos em assembleia da categoria sem diminuição no pagamento.
A vereadora usa como exemplo os professores do município, que precisam cumprir 800 horas anuais e 200 dias letivos que devem ser cumpridos mesmo em ocasião de greve ou paralisação promovida por sindicato. Assim, se propõe a obrigatoriedade de reuniões entre entidades sindicais representantes de categorias municipais e a prefeitura, de modo a criar um calendário específico para recuperação do período de paralisação. A partir disso, também se impediria o não pagamento de salário pelos dias em greve, visto que seriam recuperados.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia