Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017. Atualizado às 14h03.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Operação Lava Jato

Alterada em 10/02 às 15h07min

Escândalo da Odebrecht atrasa planos de infraestrutura da Colômbia

O plano da Colômbia para renovar centenas de milhares de estradas e tornar o rio Magdalena mais navegável foi atrasado em ao menos dois anos por causa do escândalo de corrupção da Odebrecht, afirmou o presidente da Agência Nacional de Infraestrutura, Luis Andrade. Ambos os projetos eram liderados pela construtora brasileira, e integravam o plano de desenvolvimento da área rural da Colômbia, promessa incluída pelo presidente Juan Manuel Santos no acordo de paz com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), assinado no ano passado.
Segundo Andrade, o governo trabalha para encerrar o contrato das rodovias com a empreiteira brasileira, que já concluiu 50% das obras, antes de abrir o projeto para novas ofertas. Para a expansão do rio Magdalena, o país negocia com a China Power, subsidiária da estatal chinesa Sinohydro, para tocar o projeto. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia