Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017. Atualizado às 14h26.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

estados unidos

Alterada em 23/02 às 14h29min

"Prioridade é retonar empregos ao país", diz Trump, em reunião com executivos

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, iniciou uma reunião com 24 executivos de diversos setores industriais do país e afirmou que o objetivo do encontro é discutir como fazer para "retornar empregos" aos EUA.
Participam da reunião executivos da Dell, 3M, Merck, Ford, Johnson & Johnson, Lockheed Martin, Whirlpool, International Paper, Emerson Electric, Harris Corp, Carterpillar, Campbell Soup, U.S Steel, entre outros. "Temos aqui reunidos 24 executivos das maiores companhias industriais de nosso país, representando US$ 1 trilhão em vendas e 2 milhões de funcionários", afirmou Trump.
O presidente americano afirmou que o país perdeu um terço dos trabalhos industriais desde o Tratado de Livre Comércio da América do Norte (Nafta) e que 70 mil fábricas dos EUA fecharam desde a China entrou na Organização Mundial do Trabalho. "As políticas comerciais e reformas tributárias e regulatórias do meu governo irão fazer com que os trabalhos do setor industrial retornem com força para nosso país", declarou. O republicano disse aos executivos, principalmente ao da U.S Steel, que é preciso comprar aço produzido nos EUA.
Trump voltou a falar sobre a relação comercial dos EUA com o México, que deve tratar de forma "justa" o país. "Temos um déficit comercial de US$ 70 bilhões com o México, precisamos resolver isso", disse. "Os acordos que temos com outros países são incrivelmente ruins, não temos nenhum bom acordo", declarou. O republicano também criticou a relação comercial norte-americana com a China e afirmou que deve tomar medidas em relação ao déficit comercial com o país.
Trump segue em reunião com os executivos e deve realizar pronunciamento novamente após o fim do encontro.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia