Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 12 de fevereiro de 2017. Atualizado às 10h23.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

grécia

Alterada em 12/02 às 11h28min

Destruição de bomba da 2ª Guerra retira 75 mil pessoas de suas casas na Grécia

As autoridades da cidade de Salonia, do norte da Grécia, retiraram cerca de 75 mil pessoas neste domingo para que especialistas do Exército destruíssem uma bomba que não explodiu durante a Segunda Guerra Mundial. Ela foi encontrada em um posto de gasolina e tinha 227 kg.
A retirada das pessoas começou por volta das 7h do horário local A polícia passou de casa em casa, tocando campainhas e batendo nas portas para lembrar as pessoas - que vivem num raio de 2 km, principalmente no subúrbio de Kordelio -, que elas precisavam deixar as suas casas.
Os especialistas em descarte de bombas desativaram a bomba em apenas 30 minutos, informou o governador da Macedônia Central, Apostolos Tzizikostas. A bomba agora será levada para um campo de tiro do exército.
"A primeira fase de destruição da bomba foi um sucesso total", disse Tzizikostas. "No entanto, os moradores ainda não estão autorizados a voltarem para suas casas, porque a remoção e o transporte são perigosos", acrescentou.
Muitas pessoas deixaram a área em seus carros, mas algumas foram transportadas para escolas e ginásios em outras partes da cidade.
A principal estação de ônibus da cidade foi fechada, os trens na área foram interrompidos e as igrejas cancelaram seus cultos dominicais. A cidade também reservou um hotel de 175 quartos onde as pessoas com mobilidade limitada e seus acompanhantes se hospedassem.
Entre as pessoas que foram retiradas, estavam 450 refugiados alojados numa antiga fábrica.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia