Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 28 de fevereiro de 2017. Atualizado às 22h38.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Questão Agrária

28/02/2017 - 22h36min. Alterada em 28/02 às 22h40min

Romaria da Terra atrai milhares de pessoas no noroeste gaúcho

Os participantes da romaria saíram do assentamento da antiga fazenda Annoni

Os participantes da romaria saíram do assentamento da antiga fazenda Annoni


MST-RS/Divulgação/JC
Milhares de pessoas, segundo os organizadores, participaram da 40ª Romaria da Terra na manhã desta terça-feira (28) no município de Pontão, no noroeste do Rio Grande do Sul. O evento este ano teve como palco a antiga fazenda Annoni, onde ocorreu a primeira ocupação brasileira de terras por famílias organizadas no Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), em 29 de outubro de 1985. 
A romaria ocorre sempre na terça-feira de Carnaval marcando o aniversário de morte do indígena Sepé Tiaraju. O tema este ano será “Romaria da Terra: 40 anos de luta e memória das conquistas”, com o lema “Terra de Deus, terra de irmãos”. Os romeiros começaram a atividade às 7h30min no Instituto Educar, escola de ensino médio, técnico e superior que atende as famílias assentadas na Annoni. No trajeto de cerca de dois quilômetros, as pessoas carregaram 40 tochas em celebração aos 40 anos da romaria e uma cruz de mais de três metros de altura.
O coordenador nacional do MST, João Pedro Stedile, criticou medidas o que ele apontou como medidas do Governo Temer que estariam retirando direitos Temer e apontou desafios dos trabalhadores. “Em tempos de crise, temos que fazer trabalho de base para uma formação política que leve as pessoas a refletir sobre os problemas que estamos enfrentando”, destacou Stedile. Em Pontão, também ocorreu no domingo (26) a ocupação da fazenda Mattei por 300 jovens sem-terra. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia