Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 26 de fevereiro de 2017. Atualizado às 22h11.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Segurança pública

Notícia da edição impressa de 27/02/2017. Alterada em 26/02 às 22h05min

Após reunião, policiais militares encerram motim e voltam ao trabalho no Espírito Santo

O policiamento nas ruas do Espírito Santo está plenamente regularizado desde sábado, após reunião que definiu o fim do motim promovido por familiares de policiais militares (PMs) desde o início do mês. Para que houvesse acordo, o governo do Estado se comprometeu a não instaurar novos procedimentos administrativos disciplinares nem mover ações contra as associações de policiais, além de devolver agentes transferidos a seus locais de origem, em um prazo de 45 dias. Na semana passada, 55 PMs foram transferidos para outros batalhões e companhias.
De acordo com a Secretaria de Segurança do estado, o motim já vinha perdendo força desde sexta-feira, mas 19 municípios ainda não tinham policiamento completo nas ruas. O comandante-geral da Polícia Militar do Espírito Santo, coronel Nylton Rodrigues, afirmou que os PMs que retornaram ao serviço vão ter a situação atenuada, caso estejam respondendo a qualquer tipo procedimento administrativo ou inquérito policial. Durante os 23 dias de paralisação, pelo menos 199 pessoas morreram, conforme levantamento feito pelo Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia