Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017. Atualizado às 14h08.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Saúde

Notícia da edição impressa de 10/02/2017. Alterada em 09/02 às 21h18min

Porto Alegre é a primeira cidade gaúcha a ter telediagnóstico dermatológico

Dados sobre lesões são preenchidos e encaminhados aos especialistas

Dados sobre lesões são preenchidos e encaminhados aos especialistas


JC
Suzy Scarton
Porto Alegre será a primeira cidade gaúcha a receber acesso ao DermatoNet, um serviço de telediagnóstico disponível aos profissionais de saúde da atenção primária. Desenvolvido em parceria entre o governo estadual e o Telessaúde-RS, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs), o aplicativo permite o envio de fotos das lesões de pele, bem como de detalhamentos sobre os sintomas apresentados pelos pacientes. Assim, dermatologistas vinculados ao Telessaúde podem oferecer assistência quando houver dúvida no diagnóstico na atenção primária.
O coordenador-geral do Telessaúde-RS, Marcelo Gonçalves, explica que o Estado já utiliza o EstomatoNet, que permite o telediagnóstico em estomatologia, auxiliando médicos e dentistas. Também faz telediagnósticos de espirometria, para medir função e capacidade pulmonar, bastante útil para pacientes com asma ou bronquite. São nove espirômetros espalhados pelo Estado. Agora, o Telessaúde estuda a possibilidade de estender o serviço à oftalmologia. "Temos planos também para a cardiologia e pneumologia, mas, para isso, são necessários novos convênios e novos recursos", ponderou o coordenador.
A intenção do DermatoNet é, principalmente, reduzir a fila de espera para a especialidade. No final de dezembro do ano passado, 5.673 pessoas aguardavam consultas, algumas há mais de um ano e meio. Com a ferramenta, alguns pacientes resolverão seus problemas sem a necessidade de marcar um encontro com um especialista. "Não substitui a consulta, mas facilita na hora do atendimento. Se a foto enviada tiver qualidade e permitir um diagnóstico, o dermatologista já emite um laudo, que pode ser acessado pela plataforma", explicou o secretário municipal de Saúde de Porto Alegre, Erno Harzheim. O laudo descreverá orientações a serem tomadas na atenção primária ou solicitará encaminhamento ao especialista.
Tanto o secretário estadual de Saúde, João Gabbardo dos Reis, quanto o prefeito da Capital, Nelson Marchezan Júnior, ressaltaram a importância da ferramenta. "As soluções tradicionais para os problemas da saúde não funcionam mais. Quando descobri o sistema, assim que me tornei secretário, em janeiro de 2015, foi um incentivo para sair da mesmice", assumiu Gabbardo. Além disso, Marchezan acredita que o telediagnóstico pode ajudar a melhorar a resolutividade do atendimento na saúde primária. 
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Rogelio Piriz 10/02/2017 13h23min
Quando começa? nQuero enviar uma foto de um sinal rugoso que esta crescendo