Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 05 de fevereiro de 2017. Atualizado às 16h37.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Meio Ambiente

05/02/2017 - 17h39min. Alterada em 05/02 às 17h40min

Samarco pode retomar operações em mina em julhompras após seis anos

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Minas Gerais avalia que a mina de minério de ferro Samarco, que pertence à Vale e à BHP Billiton, tem condições de retomar suas operações no segundo semestre deste ano.
"É um tempo factível", diz o secretário adjunto da Semad, Germano Luiz Gomes Vieira. "Se cumprirem os requisitos, entre julho e agosto a empresa poderá retomar a operação."
A unidade está fechada desde novembro de 2015, quando ocorreu o desastre com o rompimento da barragem do Fundão, em Mariana. Neste mês, o ministro Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, chegou a dizer que "provavelmente" a mina estaria em condições de operação nos próximos dois meses. Segundo a Semad, porém, o prazo não tem condições de ser atendido, porque, só para fazer a preparação da nova cava da mina, são necessários cerca de cinco meses.
"Qualquer tipo de empreendimento pode voltar a funcionar, desde que cumpra a legislação", afirma o secretário. "Hoje, estamos na fase de vistorias técnicas, para elaborar o parecer que vai subsidiar o Conselho Estadual de Política Ambiental, que é quem toma a decisão. O que nós fazemos é uma recomendação."
A Semad criou uma superintendência específica para tratar de "projetos prioritários", para concentrar projetos de grande impacto econômico e social.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia