Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 28 de fevereiro de 2017. Atualizado às 16h35.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado financeiro

Alterada em 28/02 às 16h35min

Bolsas da Europa sobem com expectativa sobre discurso de Trump

As bolsas europeias fecharam majoritariamente em alta nesta terça-feira (28), em meio à esperança dos investidores de que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, fará anúncios sobre os gastos com infraestrutura em seu discurso no Congresso americano na noite desta terça, além de detalhar outras promessas de sua campanha.
A bolsa de Londres fechou em alta de 0,14%, aos 7.263,44 pontos; Paris avançou 0,28%, aos 4.858,58 pontos; Frankfurt ganhou 0,10%, aos 11.834,41 pontos; Madri acelerou 0,96%, aos 9.555,50 pontos, e Lisboa teve acréscimo de 0,63%, aos 4.647,90 pontos. Por outro lado, a bolsa de Milão teve leve queda de 0,01%, aos 18.913,28 pontos.
Em Londres, as ações ligadas ao setor de engenharia e aeroespacial foram as mais beneficiadas depois que Trump propôs ontem aumento de US$ 54 bilhões em gastos militares em 2018. As ações da empresa Babcock, que fornece serviços de apoio às forças armadas do Reino Unido e outros clientes não-militares, e as da empresa de engenharia GKN terminaram com alta de 7,1% e 4,9%, respectivamente.
Empresas ligadas ao setor de construção também estiveram entre as maiores altas. Os investidores seguem otimistas com o discurso de Trump e esperam que ele detalhe seu plano de impulsionar a economia americana com um aumento expressivo nos gastos com infraestrutura. Trump deverá começar a falar por volta das 23h (de Brasília) desta terça-feira. Em Frankfurt, o papel da empresa alemã de cimento e materiais de construção HeidelbergCement subiu quase 1%, enquanto o da Rheinmetall avançou 1,5%. Por lá, os bancos Deutsche Bank e Commerzbank tiveram ganhos em torno de 1%. Os planos de Trump para uma reforma tributária também estão no foco dos investidores.
Único indicador do dia, o Produto Interno Bruto (PIB) da França cresceu mais do que se imaginava na comparação anual do quarto trimestre. Revisão publicada hoje pelo instituto de estatísticas francês, o Insee, mostra que o PIB do país teve expansão de 1,2% entre outubro e dezembro ante igual período do ano anterior. Na primeira estimativa, divulgada no fim de janeiro, o Insee havia calculado avanço de 1,1%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia