Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 28 de fevereiro de 2017. Atualizado às 13h16.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

conjuntura internacional

Alterada em 28/02 às 13h21min

Kaplan, do Fed, reitera que taxas de juros podem subir "mais cedo do que tarde"

Em entrevista ao canal de televisão CNBC, o presidente da filial de Dallas do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos), Robert Kaplan, reiterou que as taxas de juros podem subir "mais cedo do que tarde", mas sem especificar quando, na sua opinião, a autoridade monetária deveria agir.
Depois de afirmar que o Fed tem feito bons progressos na realização de suas metas de emprego e inflação, Kaplan disse ao canal de televisão que "devemos começar o processo de remoção da acomodação" e "devemos tomar medidas para remover isso mais cedo do que tarde". Seus comentários vieram em uma transcrição da entrevista.
Kaplan é membro votante do Comitê Federal para o Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês). Os dirigentes se reúnem em março para encontro que pode resultar em um aumento nas taxas de juros, que estão agora em uma faixa de 0,50% a 0,75% ao ano.
Os dirigentes do Fed projetam em torno de três aumentos dos juros este ano, mas não ofereceram muita orientação sobre quando eles iriam acontecer. Alguns banqueiros centrais disseram que um aumento da taxa está para ocorrer em março devido aos dados econômicos mais fortes do que o esperado.
Na entrevista de hoje, Kaplan disse que o tempo exato de um aumento de taxa não é o mais importante, mas disse que os níveis de precificação no mercado antecipando uma alta das taxas nos próximos meses parece razoável.
Kaplan também disse que continua acreditando que o Fed irá debater ativamente o destino de seu balanço de US$ 4,5 trilhões este ano, com o objetivo de encolhê-lo, uma vez que as elevações da taxa estão "bem encaminhadas".
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia