Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 28 de fevereiro de 2017. Atualizado às 14h49.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

comércio exterior

28/02/2017 - 08h01min. Alterada em 28/02 às 14h52min

Senado confirma Wilbur Ross como secretário de Comércio do governo Donald Trump

US Secretary of Commerce Willbur Ross (R) speaks after being sworn in by US Vice President Mike Pence (L) in the Old Executive Office Building in Washington, DC, February 28, 2017. / AFP PHOTO / JIM WATSON
      Caption

US Secretary of Commerce Willbur Ross (R) speaks after being sworn in by US Vice President Mike Pence (L) in the Old Executive Office Building in Washington, DC, February 28, 2017. / AFP PHOTO / JIM WATSON Caption


JIM WATSON /AFP/JC
O Senado dos Estados Unidos confirmou Wilbur Ross como secretário de Comércio do governo de Donald Trump, um passo fundamental para que o republicano cumpra sua promessa de reforma na política comercial do país.
A votação contou com 72 nomes a favor de Ross e 27 contra - estes últimos questionaavam os investimentos estrangeiros do novo secretário. Entre os que o apoiam, pesa o argumento de Rossa ter experiências com negócios que o ajudarão a promover os interesses das empresas norte-americanas.
Ross, um investidor bilionário, deve ter um papel de liderança na renegociação de acordos comerciais e estabelecimento de novas políticas no setor. O Departamento de Comércio lida com questões que permitem que as indústrias do país ou o governo federal desafiam rivais estrangeiros, impondo tarifas punitivas, caso estejam estabelecendo preços abaixo do valor de mercado no mercado dos EUA.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia