Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017. Atualizado às 13h22.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

empresas

Alterada em 24/02 às 13h28min

BRF sai de lucro para prejuízo líquido de R$ 460 milhões no 4º trimestre de 2016

A BRF registrou prejuízo líquido de R$ 460 milhões no quarto trimestre de 2016, revertendo o lucro de R$ 1,415 bilhão registrado no mesmo período de 2015, conforme divulgação realizada na noite da quinta-feira.
O Ebitda (Lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) atingiu R$ 559 milhões de outubro a dezembro do ano passado, um recuo de 70,4% ante igual intervalo de 2015 (R$ 1,885 bilhão). A margem Ebitda passou de 21% para 6,5%. A receita líquida da BRF somou R$ 8,59 bilhões no quarto trimestre de 2016, recuo de 4,1% na comparação com o mesmo período de 2015 (R$ 8,995 bilhões).
Na mesma base de comparação, o resultado financeiro líquido ficou negativo em R$ 600 milhões, um aumento de 57,4% em relação ao resultado também negativo em 2015 de R$ 381 milhões.
No total de janeiro a dezembro do ano passado, o prejuízo líquido da BRF atingiu R$ 372 milhões, contra lucro líquido de R$ 2,928 bilhões em 2015.
O Ebitda ficou em R$ 3,413 bilhões no ano, cifra 38,2% menor que a de 2015, de R$ 5,525 bilhões em 2015. Neste período, a margem Ebitda recuou de 17,8% para 10,1%.
Em 2016, a receita líquida totalizou R$ 33,733 bilhões, uma alta de 4,8% contra os R$ 32,197 bilhões de 2015.
No acumulado do ano de 2016, o resultado financeiro foi negativo em R$ 2,133 bilhões, contra R$ 1,670 bilhão em 2015.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia