Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017. Atualizado às 08h05.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

22/02/2017 - 08h07min. Alterada em 22/02 às 08h07min

Bolsas asiáticas sobem, após novos recordes em Nova Iorque e à espera de ata do Fed

As bolsas da Ásia e do Pacífico fecharam em alta nesta quarta-feira (22), após mais um dia de recordes em Nova Iorque e à espera da ata da última reunião de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA).
Voltando do feriado da véspera nos EUA, os principais índices acionários de Wall Street encerraram os negócios de ontem em novos patamares recordes.
Hoje, a atenção dos investidores globais vai se voltar para a ata do Fed, na qual o BC americano poderá indicar quando poderá voltar a elevar juros. O documento será publicado às 16h (de Brasília).
Na China, o índice Xangai Composto subiu 0,24%, a 3.261,22 pontos, enquanto o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 0,46%, a 1.990,34 pontos. Em Hong Kong, o Hang Seng teve ganho mais expressivo, de 0,99%, a 24.201,96 pontos.
Em outras partes da região asiática, o sul-coreano Kospi subiu 0,17% em Seul, a 2.106,61 pontos, o Taiex registrou ganho de 0,15% em Taiwan, a 9.778,78 pontos, e o filipino PSEi teve alta de 0,30% em Manila, a 7.304,45 pontos.
Já em Tóquio, o Nikkei ficou estável, com baixa apenas marginal de 0,01%, a 19.379,87 pontos.
Apesar do viés positivo desta quarta, a perspectiva de juros mais altos nos EUA gera temores de que haja um novo movimento de fuga de capitais na Ásia.
Além disso, preocupações com o cenário político na Europa limitam o apetite por risco nos mercados asiáticos. Pesquisas recentes mostram que a candidata de extrema-direita à presidência da França, Marine Le Pen, vem ampliando sua vantagem nas intenções de voto. Le Pen ameaça retirar o país da zona do euro.
Na Oceania, a bolsa australiana subiu, interrompendo uma sequência de três pregões de perdas modestas, em meio à divulgação de balanços domésticos positivos. O índice S&P/ASX 200 teve alta de 0,2% em Sydney, a 5.805,10 pontos.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia