Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 21 de fevereiro de 2017. Atualizado às 17h47.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

previdência

Alterada em 21/02 às 17h51min

Sindicalistas reclamam de pressa na apreciação da Reforma da Previdência

Representantes de centrais sindicais se reuniram nesta tarde com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para reclamar do trâmite acelerado da Reforma da Previdência. Os sindicalistas não tiveram nenhuma sinalização de que o debate seguirá um rito menos célere e prometem fazer manifestações contra a proposta apresentada pelo governo.
Em nome de nove entidades sindicais, o deputado Paulo Pereira da Silva (SD-SP) defendeu uma discussão mais aprofundada sobre a Proposta de Emenda à Constituição (PEC). "Queremos discutir a reforma, alguma coisa tem que ser feita, mas não a toque de caixa", reclamou Paulinho da Força Sindical.
Os sindicalistas também criticaram a dificuldade de acesso à Câmara e obtiveram a liberação de 10 representantes para transitar livremente pela Casa. Também foi prometida a realização de uma audiência pública conjunta para discutir as reformas previdenciária e trabalhista.
Paulinho anunciou uma grande mobilização nacional no dia 15 de março contra as propostas. Após a primeira paralisação nacional, será anunciado um novo calendário de mobilizações contra a medida proposta pelo governo.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia