Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 21 de fevereiro de 2017. Atualizado às 22h43.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Agronegócios

Notícia da edição impressa de 22/02/2017. Alterada em 21/02 às 21h56min

Exportação agrícola gaúcha aumentou 37,1% em janeiro

Embarques de soja em grãos cresceram 490% no Rio Grande do Sul

Embarques de soja em grãos cresceram 490% no Rio Grande do Sul


JOÃO MATTOS/DIVULGAÇÃO/JC
As exportações do agronegócio de janeiro de 2017 registraram um crescimento de 37,1% na comparação com o mesmo período do ano passado. O valor negociado foi de US$ 690 milhões, correspondendo a 64% do total comercializado pelo Rio Grande do Sul. Soja, carnes e cereais são os principais responsáveis pelo resultado, conforme Relatório de Comércio Exterior divulgado pela Assessoria Econômica do Sistema Farsul ontem.
O complexo soja passou de US$ 84 milhões em janeiro de 2016 para US$ 234 milhões no mesmo mês de 2017, aumento de 179%. O destaque fica com a soja em grãos que teve um salto de 490%. O economista-chefe do Sistema Farsul, Antônio da Luz, explica que o resultado se dá, principalmente, pelo aumento de 11,8% no preço do grão no mercado internacional. Já o grupo carnes teve aumento de 35,7% e o grupo cereais, 21,5%, puxado pelas exportações do trigo. Os grupos fumo, lácteos e florestais registraram queda de 17,9%, 65% e 6,9%, respectivamente.
Na comparação com dezembro de 2016, o agronegócio registra uma retração de 4,5% no valor, apesar de um aumento de 43% no volume exportado. O responsável pelo resultado é o grupo fumo com -62,4% no valor comercializado. Os grupos soja, carnes, cereais e florestais tiveram aumento nos seus valores exportados. A China se mantém como principal parceira do agronegócio gaúcho, respondendo por 28,5% das exportações do setor. Em janeiro, o segundo maior destino dos produtos foi a Coreia do Sul com 7,4% e em terceiro lugar os Estados Unidos com 4% do total.
Em relação aos números nacionais, as exportações do agronegócio brasileiro em janeiro somaram US$ 5,87 bilhões, com crescimento de 17,9% em relação aos US$ 4,98 bilhões exportados em janeiro do ano passado. As importações também cresceram, passando de US$ 913,01 milhões para US$ 1,27 bilhão ( 39,1%). Como resultado, o superávit do setor subiu de US$ 4,06 bilhões para US$ 4,60 bilhões. Os dados, também divulgados ontem, são do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).
O complexo sucroalcooleiro foi o setor com maior expansão nas vendas externas entre os setores exportadores do agronegócio nesse mês de janeiro. O valor das exportações desses produtos subiu 110% em relação a janeiro de 2016, passando de US$ 489,34 milhões para US$ 1,03 bilhão. No setor, o principal produto exportado foi o açúcar (92,9%). Foram US$ 955,40 milhões em açúcar de cana, com elevação de 120,7% no valor embarcado.
O setor de carnes - bovina, suína e de frango - atingiu US$ 1,21 bilhão. O montante representou crescimento de 31,1% em relação aos US$ 926,23 milhões exportados em janeiro de 2016. As vendas externas de carne de frango registraram o maior incremento em valor dentre os três principais tipos de carnes exportadas, subindo 33,6%, em janeiro de 2017 na comparação com o mesmo mês de 2016, o que gerou US$ 149,16 milhões. A quantidade também foi recorde para janeiro, com 355,1 mil toneladas exportadas.
As exportações do complexo soja tiveram expansão de 54,7%, em janeiro, o que resultou em US$ 961,05 milhões em exportações. As vendas externas de soja em grão foram de US$ 364,79 milhões ( 147,1%).
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia