Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017. Atualizado às 19h02.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 20/02 às 19h03min

Commodities incentivam apetite por risco e dólar fecha em queda

A alta das commodities nesta segunda-feira (20), impulsionou a maioria das moedas emergentes e ajudou o real a fechar com ganhos ante o dólar mais uma vez, em um dia de noticiário fraco também no cenário doméstico. Ainda assim, o feriado do Dia do Presidente nos EUA manteve os volumes baixos em todos os mercados.
O dólar à vista no balcão fechou em queda de 0,23%, a R$ 3,0887, depois de ter oscilado entre a mínima de R$ 3,0835 (-0,40%) e a máxima de R$ 3,1063 (+0,34%). O giro registrado na clearing de câmbio da BM&FBovespa era de US$ 602,89 milhões. No mercado futuro, o dólar para março fechou em queda de 0,45%, a R$ 3,0930. O volume financeiro somou US$ 5,57 bilhões.
O dólar também recuava ante a maioria das moedas emergentes e de países exportadores de commodities, como o rublo russo (-0,77%), o peso mexicano (-0,13%) e o dólar australiano (-0,08%). Hoje, o petróleo Brent fechou em alta de 0,66%, enquanto o minério de ferro negociado na China avançou 2,70%.
"O volume foi muito fraco e o pregão foi arrastado", comenta o operador da Advanced Corretora Alessandro Faganello. O operador da Treviso Corretora Reginaldo Galhardo lembra que o mercado já tinha se ajustado no fim da semana passada, com dois dias de alta do dólar, pois ninguém queria sair para o feriado prolongado nos EUA com grandes posições.
No noticiário doméstico, o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) informou que a balança comercial teve superávit de US$ 1,249 bilhão na terceira semana que agosto. No mês, o saldo está positivo em US$ 2,415 bilhões, enquanto no ano o superávit é de US$ 5,140 bilhões.
Ainda no radar dos investidores, o líder do governo no Congresso, senador Romero Jucá (PMDB-RR), afirmou hoje que trabalhará para que o projeto que reabre o programa de repatriação de recursos enviados ilegalmente ao exterior seja votado ainda esta semana no plenário do Senado. "É matéria urgente, é muito importante que haja esforço do Senado até para, se possível, votar esta semana, porque temos prazo para ampliar a arrecadação e cuidar do esforço fiscal que será preciso ser feito", disse Jucá ao sair de reunião no Ministério da Fazenda. O texto já foi aprovado na semana passada pela Câmara dos Deputados.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia