Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017. Atualizado às 17h49.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Energia

20/02/2017 - 17h38min. Alterada em 20/02 às 17h55min

Bndes aprova financiamento de R$ 2,56 bi para linha de transmissão de Belo Monte

Construção levará elétrica da Usina Hidrelétrica (UHE) Belo Monte, no Pará, para a Região Sudeste

Construção levará elétrica da Usina Hidrelétrica (UHE) Belo Monte, no Pará, para a Região Sudeste


OSVALDO DE LIMA/ NORTE ENERGIA/DIVULGAÇÃO/JC
Agência Brasil
O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (Bndes) anunciou nesta segunda-feira (20), a aprovação de financiamento de longo prazo de R$ 2,56 bilhões para construção do primeiro dos dois sistemas de transmissão que levarão energia elétrica da Usina Hidrelétrica (UHE) Belo Monte, no Pará, para a Região Sudeste.
A participação do Bndes corresponde a 40% do investimento total, que atinge R$ 5,6 bilhões. De acordo com o banco, também há possibilidade de emissão no mercado de debêntures de infraestrutura no valor de R$ 520 milhões. O projeto já tem empréstimo ponte de R$ 718 milhões contratado em 2015. A quitação será feita com parte dos recursos do financiamento aprovado agora.
A beneficiária do financiamento é a sociedade de propósito específico Belo Monte Transmissora de Energia SPE, controlada pelo grupo chinês State Grid. O grupo Eletrobras é o parceiro nacional no consórcio, por meio das subsidiárias Furnas Centrais Elétricas e Eletronorte.
Segundo o Bndes, o projeto prevê a construção de linha de transmissão de 2.092 quilômetros de extensão, que percorrerá 65 municípios do Pará, Tocantins, Goiás e Minas Gerais e de duas subestações conversoras: Xingu, no Pará, e Estreito, em Minas Gerais. As obras já foram iniciadas e têm previsão de conclusão em fevereiro de 2018. O segundo sistema de transmissão para escoamento da energia para a Região Sudeste terá linha de 2.550 km de extensão, que interligará as subestações Xingu (PA) e Nova Iguaçu (RJ). Ainda de acordo com o banco, a construção do sistema de transmissão deverá gerar cerca de 7 mil empregos diretos e 21 mil indiretos.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia