Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017. Atualizado às 16h02.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Consumo

20/02/2017 - 15h59min. Alterada em 20/02 às 16h04min

Fecomércio-RS aponta queda de 9,8% na intenção de consumo dos gaúchos em fevereiro

Levantamento também revela que a renda familiar caiu 37,4%, menor nível desde 2010

Levantamento também revela que a renda familiar caiu 37,4%, menor nível desde 2010


JONATHAN HECKLER/JC
A Intenção de Consumo das Famílias (ICF) gaúchas reduziu 9,8% em fevereiro na comparação com o mesmo período do ano passado, aponta a pesquisa da Fecomércio-RS, divulgada nesta segunda-feira (20). Apesar do aumento de 14,7% na perspectiva de consumo dos gaúchos e de 1,2% sobre a manutenção do emprego, os demais indicadores formaram um cenário mais negativo. 
A renda familiar teve queda de 37,4%, alcançando 45,9 pontos, o que se configura no menor nível já registrado desde a primeira edição da pesquisa, em janeiro de 2010. O maior nível identificado pelo indicador foi de 156,1 pontos em outubro de 2010.
O consumo de bens duráveis diminuiu 11,6% no confronto dos dois meses, e a facilidade de crédito recuou 19,9%. A perspectiva de ascensão profissional nos próximos meses diminuiu 9% sobre fevereiro de 2016. Já o nível de consumo atual também teve recuo de 20,1%. 
Para o presidente da Fecomércio-RS Luiz Carlos Bohn, alguns fatores influenciam diretamente a intenção de consumo. “A intenção de consumo das famílias é fortemente impactada pela dinâmica do mercado de trabalho e de crédito. Ambos ainda não deram condições para impulsionar o ímpeto de gastos das famílias", declara Bohn. 

As variáveis que compõem o ICF-RS:

Mercado de trabalho: 
  • Situação do emprego: avaliação da segurança em relação ao emprego atual em comparação com o mesmo período do ano anterior.
  • Situação de Renda: avaliação do nível de renda familiar em comparação com o mesmo período do ano anterior.
Consumo
  • Consumo atual: avaliação do nível de consumo atual da família em comparação com o mesmo período do ano anterior.
  • Acesso a crédito: avaliação da facilidade na obtenção de crédito para compras a prazo em comparação com o mesmo período do ano anterior.
  • Momento para Consumo de Bens Duráveis: avaliação do momento atual para a compra de bens duráveis (eletrodomésticos, eletrônicos e outros).
Expectativas
  • Perspectiva Profissional: perspectiva de ascensão profissional nos próximos meses.
  • Perspectiva de Consumo: perspectiva de consumo nos próximos meses em comparação com o mesmo período do ano anterior.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia