Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017. Atualizado às 09h34.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

16/02/2017 - 10h35min. Alterada em 16/02 às 10h36min

Leilão traz pressão de alta às taxas futuras de juros

Os juros futuros começaram a quinta-feira (16), com viés de baixa, mas passaram a subir, assim como o dólar, em meio à pressão do leilão de Tesouro de LTN e NTN-F (11h30), que ofusca a piora do Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) de dezembro e a notícia de aprovação do projeto de repatriação na Câmara.
Após subir 0,10% em novembro (dado já revisado), a economia brasileira registrou recuo em dezembro de 2016. O IBC-Br do mês teve baixa de 0,26% ante novembro, pior que a mediana das projeções (-0,20%), mas dentro do intervalo obtido entre analistas do mercado financeiro consultados pelo Broadcast Projeções, que esperavam resultado entre -1,00% e +0,80%.
Às 9h40min, o DI para janeiro de 2018 estava em 10,630%, de 10,615% no ajuste de quarta-feira. O Di para janeiro de 2019 exibia 10,11%, na máxima, de 10,06%, enquanto o vencimento para janeiro de 2021 estava em 10,28%, na máxima, de 10,24% no ajuste anterior.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia